sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

CONFISSÃO DE KISSINGER SOBRE A NOVA ORDEM MUNDIAL



Entrevista a Alfred Heinz 27/11/2011 09:40:00



http://www.dailysquib.co.uk/index.php?news=3089




"Se você não está ouvindo os tambores da guerra, então você deve estar surdo"




 










  



 
NOVA YORK - EUA - Em uma admissão (confissão) notável do ex Secretário de Estado da era Nixon, Henry Kissinger revela o que está acontecendo no momento no mundo e particularmente no Oriente Médio.

Falando de seu apartamento luxuoso de Manhattan, o estadista, que fará 89 anos em maio, se posiciona muito à frente com sua análise da situação atual no fórum mundial da geopolítica e da economia.

"Os Estados Unidos estão lançando a isca para a China e a Rússia, e estão cravando o último prego no caixão que será o Irã, que é, é óbvio, o principal alvo de Israel. Nós permitimos que a China aumentasse a sua força militar e que a Rússia se recuperasse da sovietização, para lhes dar uma falsa sensação de poderio e bravata, o que criará o fim rápido de todos. Somos como um exímio atirador que se atreve a fazer que o novato saque o revólver e que, quando fizer, bang bang! A guerra que se aproxima será tão grave que só uma superpotência pode ganhar, a qual somos nós, gente. É por isso que os Estados Unidos está com tanta pressa para formar um super-estado completo, porque eles sabem o que está por vir, e que para sobreviver, a Europa terá que se tornar um único estado coeso. Sua urgência me diz que eles sabem muito bem que o grande confronto é conosco. Oh, como eu sonhei com esse momento delicioso. "


"Quem controla o petróleo controla as nações; quem controla a comida controla as pessoas


Kissinger, em seguida, acrescentou:

"Se você é uma pessoa comum, então você pode se preparar para a guerra se mudando para o interior e construir uma fazenda, mas você deve levar algumas armas, porque hordas de famintos estarão rondando você. Também, até a elite terá seus refúgios e abrigos especializados, embora ela deva ser tão cuidadosa durante a guerra como os cidadãos comuns, porque os seus abrigos já podem estar comprometidos. "

Depois de uma pausa de minutos a fim de organizar os pensamentos, Kissinger continuou:

Nós dissemos aos militares que eles deveriam tomar mais de sete países do Oriente Médio por causa de seus recursos, e eles quase completaram o trabalho. Nós todos sabemos qual o meu pensamento sobre os militares, mas eu tenho que dizer que eles obedeceram ordens supérfluas desta vez. É apenas a última pedra, isto é, o Irã, que é o fiel da balança. Por quanto tempo a China e a Rússia ficarão olhando os Estados Unidos fazerem sua limpeza? O grande Urso russo, e a Foice chinesa se erguerão do seu deslumbramento e isso acontecerá quando Israel tiver que lutar com todas as suas armas e seu poderio para matar tantos árabes quanto puder. Esperançosamente, se tudo correr bem, metade do Oriente Médio será israelense'.


Nossos jovens têm sido bem treinados nas últimas décadas, ou assim combatem bem nos consoles de games de guerra. Foi interessante ver o novo Chamamento à Terceira Guerra Moderna, o qual espelha exatamente o que está por vir em um futuro próximo, com sua programação previsível.

Nossos jovens, nos Estados Unidos e no Ocidente, estão preparados porque eles foram treinados para serem bons soldados, buchas de canhão, para que quando forem chamados para sair às ruas e lutar contra esses chinas e russos malucos, obedeçam suas ordens.


Das cinzas construiremos uma nova sociedade quando sobrar uma única superpotência, aquele governo mundial que vencer. Não esqueçam, os Estados Unidos têm as melhores armas, e o melhor pessoal que nenhuma nação tem, e que apresentará suas armas ao mundo na hora certa.”

Tradução de Charles London

-------------------------------------
Uma observação

Esta entrevista é de 27 de novembro de 2011. Ela repercutiu no mundo todo, isto é, naquele mundo que lê o que a mídia controlada esconde. Eu, entretanto,  somente tomei conhecimento dessa entrevista-confissão esses dias quando consultava o site alternativo de Jeff Rense.

Mas, leiam o meu último post do ano passado, de 30/12/2011: "Retrospectiva (nada usual) de 2011". Ali estavam expressas idéias e fatos  que confirmam o que se sabe (por alguns) há anos. Eu, pelo menos, sabia o que o velho genocida totalitário sionista acaba de confirmar.

-----------------------------
 





quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

A NOVA FAMÍLIA BRASILEIRA (NFB)










Mantenha-os indisciplinados, deseducados, desorganizados, confusos, distraídos, alienados, drogados, e obcecados por sexo.” (Instituto Tavistock)



No bojo de uma verdadeira revolução cultural socialista que transformou o perfil honrado, digno e decente da família brasileira, substituindo o velho e bom padrão ético e moral por novas bases, desenraizadas, estéreis e até agora, depois de 30 anos, só fazendo piorar as condições básicas de vida do povo brasileiro, surgiu o que chamo de a NOVA FAMÍLIA BRASILEIRA (NFB).



A NFB veio para ficar no lugar da família tradicional. E ela já está na sua terceira geração. Ela também já representa 80% das famílias brasileiras, notadamente nas capitais. A menor parte – a tradicional família brasileira – está em extinção. Essa não consegue mais impor seus velhos e bons valores éticos e morais. Estes foram levados de roldão. O que temos é a situação dramática da degradação moral, ética, política, e societária. Nossas instituições apodreceram sem terem atingido a maioridade; os três poderes já não são mais distinguíveis, confiáveis e visíveis. Vivemos uma ditadura disfarçada em democracia – isso é, uma democracia socialista. Mas é na família que está o nosso maior fator de desagregação.



Em janeiro deste ano a Rede Globo de Televisão voltou com o seu programa mais nojento: o Big Brother Brasil; que melhor chamar-se-ia Big Family Brazil. Dizer do seu conteúdo seria quase dispensável, mas é sempre bom afirmar que ele baliza bem a Nova Família Brasileira; mais, ele é o verdadeiro retrato moral da Nova Família Brasileira.



Vejam que dificuldade envolve desligar a TV Globo na hora da pornografia mais descarada. Como o verdadeiro Big Brother da cacotopia de George Orwell, o Big Brother é vigia, é guardião, é o guarda da cadeia de um povo totalmente anestesiado, inerme, incapaz de reagir. Por isso a NFB não consegue desligar a TV ou trocar de canal porque um condicionamento de 20 anos a impede de fazer isso. Ela prefere a demonstração explícita de vulgaridades sexuais feitas por gente desqualificada, embora escolhida a dedo.



A Globo sabe que o sucesso está garantido. Esses dias o site UOL, um lixão da internet que explora o que o ser humano tem de pior, e grande fã da NFB, chegou a publicar um convite para que o espectador ficasse atento ao programa daquela noite, porque havia a possibilidade de acontecer um estupro na “casa dos segredos”. Uma mídia da Rede convidava o espectador para assistir um possível crime.



Pois a NFB nem percebe mais o que é crime; esta palavra sumiu dos jornais e da TV há anos – ela foi substituída por violência. A NFB conhece apenas os factóides posteriores do crime, e não a sua essência. Assim se eliminou o incômodo enquadramento do Código Penal em vigência. Se não há crimes a registrar, então não há criminosos. Não há crimes no Big Brother, nem criminosos. A NFB não reclama disso porque isso foi abolido de sua consciência por décadas de propaganda socialista “liberalizante”. Em poucos anos o Brasil não terá nenhum preso.



Mas a NFB não repara nada porque nada vê de errado ou imoral, ou antiético. Perdeu a vergonha e adora ver as vergonhas dos atores em ação. Pais, mães, crianças de todas as idades assistem tudo aquilo com grande prazer. A NFB é hedonista, isto é, movida pelo prazer; não se escandaliza a não ser quando os slogans da propaganda comunista são contrariados. Aí ela fica braba, denuncia quem denuncia a degeneração.



A NFB é educada por ideologia, por mentiras, por recursos à dissolução do passado histórico brasileiro. Nenhuma criança mais no Brasil tem qualquer nexo com o passado histórico além daquele que aprendeu em casa; existem cada vez menos crianças verdadeiramente alfabetizadas por padrões pedagógicos aceitáveis. Quando a informação é captada em idades mais avançadas, já por intermédio da ideologia socialista cuja principal meta é a DISSOLUÇÃO DA FAMÍLIA TRADICIONAL BRASILEIRA, já o ciclo se fechou. No Rio Grande do Sul, Estado onde começou a degeneração da Educação Pública há 30 anos, o conteúdo escolar será neste ano 90% militância ideológica e pragmática leninista; serão fundadas organizações de militância baseadas em oficinas de trabalho segundo a orientação do Partido. Aliás, a NFB tem a mesma idade do PT. Coincidência?



É por isso que o Big Brother existe há 13 anos trabalhando na “cultura”. Não é coincidência; é conseqüência mesmo. Seria impossível que uma escalada de pornografia televisiva não se fizesse acompanhar por ações de três governos socialistas desde FHC. Todos eles se pautaram pela liberação do sexo promíscuo e as drogas, e pelo abrandamento das leis penais, já quase em extinção.



O jornal Zero Hora, que usa e abusa da estratégia da dissonância cognitiva de dar a palavra (democraticamente) ao criminoso, lado a lado com sua vítima, publicou esses dias um texto defendendo o Big Brother. Houve após o escandaloso convite ao estupro algumas reações contrárias que a mídia corporativa logo tratou de abafar. Pois Zero Hora escolheu um beócio jornalista que falava em reality show (um disfarce) e não via nada de errado no programa que conta com uma dona de filmes pornôs, duas lésbicas, dois viados, e um bial. Para aquele tarado jornalista tudo era normal; o tipo chegou a sugerir que o telespectador ofendido trocasse de canal. O idiota, jornalista típico da NFB, não percebeu a gravidade do assunto: a sociedade não tem mais nenhum canal para ir; a única solução seria desligar a TV, que como 1984 não era possível de ser desligada..



Esse tipo de jornalismo degenerado é majoritário no país. São os mesmos que querem o fechamento das igrejas cristãs; a abolição de símbolos religiosos nos lugares públicos. São vampiros que odeiam o Sol e Deus, qualquer deus. São os mesmos que fazem ameaças veladas em favor da lei da homofobia até em programas desportivos.



A NFB é aquela também que se deixa sugar por parasitas políticos há trinta anos, de Sarney a Dilma Roussef. Ela não está nem aí se os impostos no ano passado atingiram um trilhão de reais desse que lhe garantam que todo ano em janeiro haverá um show de pornografia e vagabundagem feito por prostitutos e prostitutas que só estão lá para assinar contratos de pay per view.



A NFB contenta-se com a esmola do Bolsa (da Nova) Família, com a inclusão de retardados mentais nas escolas, com a flagrante injustiça inconstitucional das cotas minoritárias, etc. Não têm nada a dizer disso – querem seu pirão sexual primeiro, e já. Adorarão a Copa de 2014 mesmo sabendo que não temos nem condições morais de praticá-la; aplaudem a premiação dourada de criminosos estrangeiros, nem se incomodam de ver seus líderes políticos fazendo excursões com seu dinheiro à Cuba, exemplo mundial de miséria, campos de concentração, fome, e atraso social.



A NFB nasceu burra e morrerá burra, embora os propagandistas do governo na mídia diagnostiquem ali um tipo estranho de felicidade. É a felicidade que antecede a escravidão total. O Instituto Tavistock, centro de lavagem cerebral inglês, falava em comfortably numb (confortavelmente entorpecido). Este é o estado mental desejado da população. Para isso servem o flúor para crianças e a fluo(r)xetina para adultos.


Nestes dias finais de janeiro de 2012 e até hoje, 6/2/2012, a Bahia, em especial Salvador, sofre com o caos instalado: quase 100 mortos, centenas de saques, assaltos, atos de destruição. A NFB baiana sofre calada; seu governador, lógico, estava em Cuba quando tudo começou, e agora a NFB tem mais motivos para odiar a polícia, as leis e a ordem. A barbárie baiana ameaça se espalhar pelo país do Big Brother. O longo trabalho de destruição da autoridade policial e militar feito pela imprensa nacional, paralelo à comunização do Brasil, não é fato isolado não. Esse trabalho de sapa às leis, às polícias, às autoridades, ajudou a construir essa Nova Família degradada moralmente. Em um país onde os políticos socialistas “pacificam” bandidos perigosos é absolutamente compreensível a aceitação da pornografia, o incentivo ao uso de drogas, e a criminalização das polícias. Em breve a pedofilia será aceita e o homossexualismo obrigatório.



A verdadeira paz socialista é a paz dos cemitérios. Antes da morte, entretanto, a morte em vida, nem tão severina.






sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

TEORIA GERAL DOS PORCOS










“Não dêem o que é sagrado aos cães, nem atirem pérolas aos porcos; caso contrário, estes as pisarão e, aqueles, voltando-se contra vocês, os despedaçarão”. (Mateus 7,6)





O aviso bíblico adverte há 2 mil anos que não devemos dar pérolas aos porcos. Deixemos os cães de lado, embora o perigo seja maior. Quanto aos cães, talvez esse seja o futuro do Brasil; por enquanto vivemos a Era dos Porcos.



A TEORIA GERAL DOS PORCOS que descreverei dá conta daqueles para os quais nos matamos em avisar, advertir, observar, sempre com o bom intuito, a boa fé de quem quer visar somente o Bem. Mas a TEORIA não vê nos porcos nenhuma resposta aos avisos e aos conhecimentos que passamos quase diariamente. O que vemos é uma rejeição máxima, surda, indiferente. Daí os resultados funestos que amealhamos em todos os níveis da vida brasileira. Desde cedo aviso que a TEORIA GERAL DOS PORCOS não é um arremedo evangélico e não tem qualquer crítica ou censura, até porque o sentido original de Mateus é outro. Os Porcos de Mateus são rejeitados em favor da lealdade a Jesus.



Mas quem são os porcos, porque mesmos entre eles existem diferenças apreciáveis? A TEORIA GERAL DOS PORCOS tipifica os “porcos”.



Em primeiro lugar, o ponto de partida da TEORIA resulta da constatação de que há dois tipos humanos, e brasileiros em particular: os que merecem ser chamados e tratados como porcos, e os não-porcos, uma minoria desprezível. Porcos seriam todos que não entendem as verdades antigas, ou não as conhecem por ignorância ou limitação ideológica. Devo admitir que a limitação ideológica é de tal ordem que os porcos representam 90% da população, se não estou sendo modesto.



Com isso em mente devemos então reparar no porco TIPO 1. Este é avesso a qualquer informação útil e necessária, até para ele mesmo. Aqui, neste tipo, está o beócio, o tacanho, o idiota feliz, o analfabeto criado nas estufas do comunismo tupiniquim. Este tipo não traz nada de casa, para piorar as coisas. Pelo contrário, até traz coisas ruins, vis, viciosas. Isso o faz um porco perigoso, totalmente tapado (embora ele se ache feliz com as migalhas que ganha do Estado). Já estamos na terceira geração desse tipo. Isso tem conseqüências políticas indimensionáveis. De tal tipo nada devemos esperar de bom. A caridade aqui é temerária; a bondade e a generosidade que podemos pregar e fazer, é inútil. É desse tipo que surgem os cães raivosos quando completamente libertos.








O porco Tipo 1 é desanimador para um cristão cheio de boa vontade. Ficamos chocados quando não temos resposta ou reação do Tipo 1. Essa brutal falta de interesse por verdades há muito silenciadas faz com que esse Tipo tenha trocado o intelecto, a ética e a moral, por favores materiais que os mantém vivos. Ética para quê? Porcos 1 são Legião, dão votos e votos. Eles são baratos e por isso comprados no mercado político e econômico por ninharias. Eles são porcos por ninharias. Eles têm direitos a ninharias.



Não tentem educar, alfabetizar, ou orientar um Porco 1. É pura perda de tempo. Já ouviram falar em dissonância cognitiva? Porco Tipo 1 é 100 % dissonante. Não há quem os convença senão pela chantagem material, na concessão de direitos onerosos aos outros (os não-porcos) para o usufruto do que não lhe pertence, ou no “perdão” dos seus crimes, sejam quais forem.



O PORCO TIPO 2



Já este tipo 2 apresenta claras esperanças aos catequizadores. A nossa tarefa se altera por completo: o Porco Tipo 2 aceita ouvir e cotejar intelectualmente as novas informações que lhes passamos. A informação é recebida até com paciência e humildade (coisa rara hoje) pelo Porco Tipo 2. Dá até vontade de não chamá-los mais de Porcos, coitados.








O Tipo 2 é capaz de se interessar por coisas novas, novas sabedorias, coisa incomuns que o intelecto pode captar e deliberar. O porco 2 é curioso. Isso significa um certo afastamento do egoísmo. Ele se envergonha do comportamento egoísta, tipo “meu pirão primeiro”. O Tipo 1 não é dotado de vergonha, portanto incapaz de pruridos ou constrangimentos morais.



O Tipo 2 é especialmente atingido pelas Teorias Conspiratórias. E isso tem um lado bom. A tendência da juventude, por exemplo, em desconfiar de governos e instituições, a torna receptiva a informações que vão neste tom de crítica política. No entanto, a informação qualificada de que estou falando é o informe, o up grade da informação, alcançado após várias peneiras e filtragens (a peneira da bobagem e da desinformação). Porcos 1 são 100% desinformados e controlados – eles não estão nem no domínio de si mesmos.



O Porco Tipo 2, embora possa compreender, ainda não é isento de manchas. Se sua ação tomar rumos perigosos, prejudiciais e ou criminosos, o seu rebaixamento ao Tipo 1 é inevitável. Além disso, há um outro aspecto: o Tipo 1 é assustadoramente populoso. Por isso o controle estatal sobre esse tipo deve ser máximo porque as coisas saem do lugar com muita velocidade. Isso leva a uma escalada de medo, ignorância e poder. O Porco Tipo 1 tem um medo mortal de que o Estado pense em se livrar dele.



Já faz quatro décadas que o Brasil vive neste clima. O porco 2 pertence há uma desoladora minoria, mas é o único que podemos alcançar com nossa ação. É pena que ele está e vive cercado de porcos Tipo 1, e isso o força a se comportar como o Tipo 1, às vezes, por medo ou por efeito de manada.







O PORCO TIPO 3



Enquanto o tipo 1 é pura ignorância, burrice, e sem vergonhice, o Tipo 3 é mais perverso por não contar o que sabe e ocultar o que está fazendo. O Porco Tipo 3 pode ser um comunista ou um liberal; um ateu ou um crente devoto. Pode ser até um maçônico grau 33. Nos Estados Unidos um tal de Albert Pyke asseverava no século XIX que “a escória humana estúpida não deve saber de nada”. O Tipo 1 deve sua ignorância, sua impotência, e sua escravidão aos senhores Tipo 3, maçônicos desse grau, socialistas, e todo tipo de fanático totalitário.








Querem um exemplo próximo? Tarso Genro, governador do Rio Grande do Sul, ex-ministro da Justiça, da Educação – ele é um porco 3 típico. Esse tipo adora a “inteligência”. Vive falando em “inteligência”, e ainda lhe dá um tom “coletivo”, “comunitário” para disfarçar a intenção perversa do que leva em mente.



Os porcos Tipo 3 são uma minoria – uma elite que desfila entre os espectros das raposas e o dos leões, aproveitando a tipologia pareteana (Vilfredo Pareto, 1848-1923). É uma oligarquia comunista, politicamente falando, ou, melhor, uma oligarquia pura e consistente construída por baixo da ideologia socialista. A vaidade deste tipo é notável. É vista frequentemente no topo de alguma pirâmide. Não são necessariamente malignos porque alguns precisam estudar muito os catecismos comunistas e totalitários. Se, no entanto, precisarmos rotulá-los de malignos estaremos recorrendo mais a Mateus 7,6. A TEORIA GERAL DOS PORCOS admite um elo, um meio-termo, entre os endogenamente ruins de espírito e a ruindade puramente humana. Veremos exemplos deles mais adiante na TEORIA.










Outra característica do Porco Tipo 3 é sua atração por Educação, Pedagogia e Jornalismo – eles detém o monopólio da informação e da educação. Eles quase as inventaram no Brasil. Universidade e a TV são suas pocilgas mais notáveis.



É óbvio que para esses porcos refinados no crime, no genocídio, na enganação socialista, o ato de lhes dar uma pérola na forma de um voto é também uma temeridade. A TEORIA GERAL DOS PORCOS aconselha a não se dar pérolas a porcos nem votar neles. O processo é muito simples: só existe hoje o porco atípico, o Tipo 2, o qual pode deixar de ser porco – e para isso não precisamos esperar que ele entre no céu, ou que reencarne melhor da próxima vez, para que receba a nossa ajuda. Podemos cultivá-los, e é nosso dever transformá-los a não-porcos.





Uma sabedoria religiosa muito antiga descreveu uma tipologia humana em apenas três atributos. Seus tipos tamas e rajas assemelham-se aos nossos porcos tipos 1 e 2, respectivamente, o porco ignorante e material, e o porco curioso e com intelecto reativo. O porco quase maldito, tipo 3, tem um atributo quase demoníaco por aprendizado, por doutrinação e treinamento; ele não é uma excrescência do Divino. A sabedoria antiga do Sanatana Darma tipificava o terceiro atributo como um sublime processo de elevação do ser humano à Divindade, algo pelo qual valia a pena o desapego material e o sacrifício. Era o seu mais radical oposto.



A tarefa mais urgente que temos é, portanto, mostrar o Tipo 3 tal como ele é. Isso enseja a uma investigação dentro das diversas atividades humanas. Poderíamos até fazer um manual intuitivo da TEORIA GERAL DOS PORCOS para a população sensível segundo suas atividades profissionais, suas preferências estéticas e éticas. A revelação da Teoria Geral dos Porcos através de exemplos, figuras, símbolos, provocaria surpreendentes ranger de dentes, e de quem nem de longe suspeitaríamos. Mas isso fica para outro desenvolvimento.